Como melhorar o comportamento dos motoristas (sem multá-los)

Como melhorar o comportamento dos motoristas (sem multá-los)

15 de agosto de 2019 0 Por Petrus Evelyn

Dirigir é difícil. Comportamentalmente, é preciso realizar diversas ações simultâneas para tudo dar certo: pressionar a embreagem, trocar a marcha, pressionar o acelerador, frear, controlar o volante, olhar pelos retrovisores etc. Cognitivamente, mais diversas outras ações: analisar distâncias, refletir sobre o percurso, observar pedestres, outros veículos etc. Então, como algo tão difícil é realizado por tanta gente? Bem… é por isso que há tantos acidentes de trânsito, certo?

Quando se fala em melhorar o comportamento dos motoristas, políticos logo tiram da manga a única solução que $abem: multar. Mas, multas melhoram o comportamento? Segundo Murray Sidman, psicólogo comportamental, em seu livro Coerção e Suas Implicações, as punições aos comportamentos só ensinam o que a pessoa NÃO DEVE FAZER e nunca o que deve fazer.

Isso poderia ser suficiente, afinal, o que o motorista deve NÃO FAZER é dirigir em alta velocidade. Porém, ainda de acordo com Sidman, quem é punido ainda quer realizar aquele comportamento que foi punido, ou seja, ele vai encontrar formas de não ser pego. E é exatamente assim que acontece: motoristas que costumam ser multados decoram onde há câmeras, sabem onde geralmente há guardas de trânsito e só dirigem adequadamente nos locais que sabem que podem ser punidos.

Isso não é eficiente e nem diminui as multas de trânsito. Então, o que pode ser feito?

Primeiro: para se ter um ambiente em que há respeito pelas leis de trânsito é preciso ter organização dos veículos. Em Teresina – cidade que vivo – há mudanças bruscas em vias, ruas esburacadas, falta de sinalização adequada, locais pessimamente organizados etc. Assim, torna-se impossível exigir bons comportamentos porque não há um bom ambiente para que eles ocorram. Um ambiente corrompido não vai produzir motoristas honestos.

Segundo: Bons comportamentos precisam ser lembrados, estimulados, reforçados. Motoristas que nunca pegam multas precisam ser reconhecidos. Qual é a vantagem de dirigir prudentemente? Atualmente nenhuma. Mas podia-se ter descontos no IPVA ou outras formas de recompensar esse tipo de comportamento.

Terceiro: Deve-se encontrar formas inteligentes e psicológicas de melhorar comportamentos. Alguns países utilizam uma técnica que mostra um rosto triste quando a pessoa estava acima da velocidade juntamente com um aviso “Você está rápido demais, diminua a velocidade”. Sem multas e nenhuma outra punição, isso gera um efeito positivo no comportamento dos motoristas, que realmente diminuíam a velocidade. Funciona em qualquer lugar? Talvez não, mas é preciso encontrar e testar fórmulas mais eficientes.