Freud considerava o homossexualismo uma doença?

Freud considerava o homossexualismo uma doença?

16 de junho de 2017 0 Por Petrus Evelyn
O pai da psicanálise, Sigmund Freud, mudou de ideia várias vezes ao longo de sua vida. Alterou textos, colocou várias notas de rodapé (algumas que são páginas inteiras!) e assim re-explicou suas teorias enquanto ia descobrindo coisas novas. Freud é um ótimo filósofo da vida cotidiana, mas suas teses estão longe de ser científicas. Uma das coisas que ele chegou a afirmar foi que o homossexualismo era passível uma aberração sexual passível de cura.
No livro “Um Caso de Histeria, Três Ensaios sobre Sexualidade e outros trabalhos” (Editora Imago, 1969), no capítulo sobre Aberrações Sexuais, Freud fala sobre os invertidos (termo que usa para se referir aos homossexuais) e declara (p. 136):
“O homem invertido sucumbiria, como a mulher, ao encanto proveniente dos atributos masculinos do corpo e da alma; sentir-se-ia como mulher e buscaria o homem”.
Logo depois, porém, se corrige e afirma que os homens invertidos nem sempre se sentem como mulher, apesar de direcionarem seu desejo sexual para pessoas do mesmo sexo.
Ele então classifica o que considera como “aberração” em diversos tipos tais como os invertidos ocasionais, os invertidos que possuem desejo pelos dois sexos ou invertidos que, após um certo tempo, abandonam a “condição”.
Ao fim do capítulo, Freud admite ser improvável conseguir uma explicação para a origem da inversão e lamenta que as pesquisas de outros estudiosos não tenham levado até a “cura” universal do homossexualismo (p. 139).
Qual a importância das ideias de Freud para a ciência? Deveria ser pouca ou nenhuma, mas observa-se como ele ainda influência muitos profissionais da saúde mental, principalmente da psicologia e da psiquiatria (no Brasil, a psicanálise é um dos poucos países em que a abordagem continua bastante forte).
É preciso tomar cuidado com profissionais que seguem suas ideias mas que, por algum motivo obscuro ou ignorância, simplesmente ignoram a análise de Freud sobre o homossexualismo.
Na minha opinião e de boa parte das ciências comportamentais, homossexualismo não é doença, mas um comportamento ANIMAL comum (não existe apenas em humanos) e que, provavelmente, possui uma explicação evolutiva para ter se mantido. Assim como qualquer comportamento, deve ser estudado e explicado pela ciência.