O que fazer com crianças muito danadas que não respeitam castigos não-físicos?

O que fazer com crianças muito danadas que não respeitam castigos não-físicos?

6 de fevereiro de 2020 0 Por Petrus Evelyn

A primeira coisa que os pais devem ter em mente é que nenhuma criança NASCE muito danada. Provavelmente, ela tinha alguns comportamentos que foram incentivados pelos pais ou outras pessoas de seu convívio e esse comportamento ficou cada vez pior.

Um exemplo é o escândalo no supermercado: ele jamais começa, em sua primeira ocorrência, como um escândalo, mas sim como um pedido insistente para comprar algo. O pai ou a mãe, que antes recusavam o pedido, acabam oferecendo o que a criança deseja como uma forma de aquietar a criança.

O problema é que, neste caso, a criança aprendeu que pedidos insistentes funcionam, mas pedidos calmos não funcionam. A insistência evolui, gradualmente, até um escândalo que só consegue ser parado com o objeto desejado pela criança ou com a agressão física (ao menos é isso que os pais pensam).

Mas, nesse caso, a criança deve ser punida com agressão física?

Não! Primeiro porque os pais são os culpados pela criança desenvolver esse comportamento, a punição, então, estaria direcionada para os indivíduos errados. Segundo, há formas de mudar o comportamento da criança que não seja através da agressão física.

O erro comportamental foi cometido e é preciso refazer o comportamento da criança. Isso significa que os pais podem instruir a criança, ANTES DE IR AO SUPERMERCADO, sobre como ela pode ganhar aquele bombom que ela tanto deseja. A instrução pode ser: SE FICAR QUIETA DURANTE AS COMPRAS, GANHA, AO FINAL, UM BOMBOM. SE FIZER ESCÂNDALO, NÃO GANHA.

Essa orientação irá desenvolver um novo comportamento na criança. Se o escândalo foi desenvolvido após sucessivas recompensas de pedidos insistentes, o comportamento de pedir educadamente acontece da mesma forma: a criança deve ser incentivada e recompensada sempre que se comportar de maneira adequada.

Isso não significa que ela não irá mais dar escândalos. Isso realmente pode acontecer já que o comportamento foi aprendido. No entanto, a medida que a criança “toma consciência” que o escândalo não gera mais nenhum resultado e, concomitantemente, pedir educadamente gera resultados, ela começa a preferir o comportamento mais fácil que é o de pedir de maneira calma e educada.

Quanto aos escândalos, nunca mais devem ser recompensados. Caso aconteçam, eles podem ser punidos de outras maneiras: a perda de um benefício por parte da criança ou até o castigo em que a criança é deixada em um local por um tempo sem nenhum tipo de estímulo agradável.

Por fim, o que os pais devem ter em mente é que uma criança não deve ser punida, muito menos fisicamente, se quem estimulou aquele mau comportamento foram os próprios pais – é preciso fazer com que a criança desenvolva bons hábitos e estar sempre pronto para incentivar os bons comportamentos.