Os pensamentos e crenças são mais frágeis do que imaginamos

Os pensamentos e crenças são mais frágeis do que imaginamos

30 de junho de 2020 0 Por Petrus Evelyn

Nos anos 50, Leon Festinger fez uma série de experimentos e pesquisas sobre como as pessoas obedeciam a ordens – muitas vezes contra suas convicções. Segundo ele, quando o indivíduo passa muito tempo seguindo uma ordem diferente de sua crença, ele acaba por acreditar naquela nova forma de pensamento.

Os soldados nazistas, por exemplo, após a Guerra, sempre afirmavam que não matavam porque queriam, mas apenas seguiam ordens. Dificilmente uma pessoa conseguirá fazer um ato tão extremo como assassinar outra pessoa apenas por seguir ordens – na verdade, o soldado possivelmente já acreditava naquela ideia.

Atualmente, isso funciona com funcionários, policiais, guardas de trânsito, professores – todos eles que impõe ideias ou recebem ordens estão passíveis de terem suas crenças mais profundas ameaçadas.